Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 2254
Sala 302 - Edifício Americam Business Center
Jd. Aclimação - Cuiabá - Mato Grosso - (65) 3642-2606
BUSCA    
INÍCIO    LINKS    AGENDA    MULTIMÍDIA    WEBMAIL    CONTATO
24/02/2021
24/02/2021
23/02/2021
23/02/2021
22/02/2021
22/02/2021


Safra de cana sobe, mas pas perde chances
Em: 20/03/2013 às 10:02h por Folha de S. Paulo

A moagem de cana-de-açúcar deverá atingir 587 milhões de toneladas na região centro-sul na safra que se inicia, uma evolução de 10% em relação à anterior.

Já a produção total de cana, incluindo o Nordeste, será de 644 milhões nesta safra 2013/14. As estimativas são da consultoria Datagro.

Esse cenário de maior produção poderá beneficiar os consumidores, que terão o etanol com valor próximo a 60% do da gasolina no período de pico de safra.

O piso de preço do álcool hidratado ficará próximo a R$ 1,10 nas usinas e a R$ 1,69 nos postos, diz Plinio Nastari, presidente da Datagro.

Apesar dessa evolução no setor, Nastari afirma que preocupam as várias oportunidades que o país vai deixar escapar nos próximos anos.

O consumo mundial de açúcar deverá crescer 28 milhões de toneladas nos próximos sete anos e os concorrentes brasileiros terão capacidade de produzir apenas 14,1 milhões de toneladas.

O problema é que o Brasil, devido a políticas equivocadas em anos anteriores, está no limite de produção, e os investimentos demoram.

O cenário não é muito confortável também no etanol. Se os países cumprirem as metas de utilização de etanol na matriz energética, o consumo mundial será de 175 bilhões de litros em 2020, ante os 95 bilhões atuais. Devido à inconsistência da política governamental, os investimentos caíram, mas o lado bom é que o governo já percebeu esses equívocos, principalmente porque uma das vítimas é a Petrobras. Nastari tem esperanças de que o setor volte ao que era e uma das saídas para isso será a eliminação da distorção de preços da gasolina em relação ao mercado externo.

Para onde vai O crescimento da nova safra de cana, em relação à anterior, corresponde a 8,21 milhões de ATR (Açúcar Total Recuperável) no centro-sul. Desse volume, 45% irão para o etanol anidro, 23%, para o hidratado e 32%, para o açúcar, segundo a Datagro.

O que é necessário Plinio Nastari, da Datagro, diz que o setor sucroenergético tem de ter um ambiente regulatório previsível, que estimule investimentos.

Consumo São necessárias também metas de longo prazo para permitir a participação do etanol no consumo de combustíveis.

Foco Enquanto isso, o foco do setor deverá ser recuperação de produtividade, redução de custos e intensificação de práticas de produção sustentáveis, diz Nastari.

Queda O primeiro contrato de açúcar fechou a 18,31 centavos de dólar por libra-peso em Nova York ontem. O valor mostra queda de 29% em relação ao preço praticados em igual período de 2012.

 
Imprimir   Enviar por e-mail

 

Sindicato das Indústrias Sucroalcooleieras do Estado de Mato Grosso - © 2011
Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 2254 Sala 302 - Edifício Americam Business Center - Jardim Aclimação
CEP 78500-000 - Cuiabá - Mato Grosso - Brasil - (65) 3642-2606